quinta-feira, 25 de junho de 2015

Dize-me tu

Dize-me tu, denominação dura,
Onde nenhum rebanho apascenta,
De que lado na terra escura
Pode brilhar o sol da sua face,
Aos remendos e sem respeito entrelace.
Dize-me tu, púlpitos finos,
Onde nenhum pássaro livre pode cantar,
Em que caverna fechada isolada, nada fala.
Seu silêncio incomoda os ouvintes,
Nada fala, tudo o que sabe, mas se cala.
Dize-me tu, ó céu deserto,
Dize-me tu se é muito tarde ainda,
A porta da gaiola está aberta,
Mas os pássaros pensam que voa é pecado.
Eles pensam que a Vida é longe,
E o medo, paralisa suas asas,
Nada cantam, pois nada ouvem.
Tudo o que eles fizeram, e tudo
É feito de acabar-se! Seja livre,
E não tenham medo de voar.
Levante e ande, a sua fé
Te curou, mas vá, e,
Faça de tudo para que não
Venha mais pecar contra

aquEle que nos amou.

quarta-feira, 24 de junho de 2015

QUERIA DEIXAR ALGUMAS PERGUNTAS PARA VOCÊS

Se há uma só fé, porque existem tantas denominações em nome de Jesus Cristo, cada uma alegam ter a salvação mediante Ele, sendo o caminho certo para ter uma vida com Deus? Se existe um só Senhor que age por meio de todos, porque a tanta desunião, porque a tanta desigualdade no meio do povo de Deus? Porque uns alegam eu sou de tal denominação, eu sou de ciclano denominação, não basta apenas dizer, eu sou servo do Senhor Jesus Cristo? Será que tem que ter um currículo institucional aqui na terra para o nosso Senhor poder nos receber no Reino? Isso é, se estivermos verdadeiramente nEle? Se existe um só batismo, que é em nome dEle, em nome do Filho do Eterno, porque quando muitas das pessoas vão se batizar em alguma denominação, eles vêm com um currículo de exigência? - Olha para se batizar em nome de Jesus Cristo, você terá que vim aqui neste local semanalmente, não pode faltar, aí te ensinaram que dizimo tem que dar, se não o Senhor não abençoa. Não vejo essa mensagem de batismo no novo testamento: Quando Filipe batizou o eunuco foi simples, não tinha uma listinha para o eunuco seguir. Filipe sabia que não precisa disso, então o eunuco disse: "Veja, aqui tem água! Por que eu não posso ser batizado?" O senhor pode", respondeu Filipe," se o senhor crê de todo o seu coração". E o eunuco respondeu: "Eu creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus". Ele parou o carro, os dois desceram para dentro da água, e Filipe o batizou. E ali este homem seguiu seu caminho, já sabia qual era a sua salvação, e pode ter certeza que o Espirito Santo do nosso Senhor o guiou. Agora a pergunta se existe um só batismo, porque tantas exigências em nome dEle? Quem é batizado em tal denominação não pode ir na ciclano, quem foi que dividiu o povo de Deus a tal ponto que cada um acha que a salvação é só mediante a eles e as suas reuniões? Pois bem, posso te afirmar que isso é tudo fruto da religião. Uma religião que Constantino oficializou em nome de Jesus, a Igreja foi dispersa e perdeu-se sua identidade, depois veio a reforma protestante, veio reforma o que? O engano da igreja católica? Hoje nós podemos ver o resultado de tudo isso no dia-dia. Essa divisão que fizeram na Igreja de Jesus Cristo. O que eu quero aqui com todos esses argumentos, quero que vocês pensem, e vão buscar o Senhor de vocês, eu não sou ateu, muito menos cristão por que não me pareço nada com Jesus Cristo, mas Ele sabe e conhece sua Igreja, conhece meu coração e de todos vocês, mesmo eu sendo falho percorro meu caminho, nem que seja tateando. Em busca do meu Senhor eu vou sabendo que ele é o Único Caminho a Verdade e a Vida.
“O PAI E O FILHO SÃO UM. E POR QUE A IGREJA HOJE EM DIA, NÃO É?”



quarta-feira, 17 de junho de 2015

TODOS SERÃO LIVRES NO REINO DO CÉU

Acho que muitos assistiram no Jornal uma atitude de alguns crentes, que ostentavam a bíblia na mão, que jogaram uma pedra em uma garota, só por que ela tem outra religião, umbanda se eu não me engano. Maninhos e Maninhas deixa eu falar algo para vocês, de onde esse pessoal aprende tanto ódio, com certeza dos Evangelhos de Jesus não é. Jesus nasceu no meio de um povo Judeu, mas nós nunca vimos Ele e seus discípulos jogarem pedras nos gentios; nos samaritanos. Acho que esse pessoal não leu o que aconteceu em Atos, vou refrescar a mente de alguns. Mas quanto a Filipe, um anjo do Senhor lhe disse: "Vá para o sul, para a estrada que leva de Jerusalém ao deserto de Gaza". Ele fez assim, e lá estava, descendo pela estrada, um eunuco, tesoureiro da Etiópia, um oficial de grande autoridade sob as ordens da rainha Candace. Ele tinha ido a Jerusalém adorar a Deus. Agora estava voltando na sua carruagem, lendo em voz alta o livro do profeta Isaías. E o Espírito Santo disse a Filipe: "Avance e acompanhe a carruagem!" Filipe correu, ouviu o que ele estava lendo do profeta Isaías e lhe perguntou: "O senhor entende o que está lendo?" Ele respondeu: "Como posso entender, se não há ninguém para me explicar?" E ele convidou Filipe a subir na carruagem e assentar-¬se ao seu lado! O trecho das Escrituras que o eunuco estava lendo era este: "Ele foi levado como uma ovelha para o matadouro, e como um cordeiro quieto e mudo diante dos tosquiadores ele não abriu a boca. Na sua humilhação, negaram justiça a ele; e quem pode falar dos seus descendentes? Pois a vida dele foi tirada da terra". O eunuco perguntou a Filipe: "Diga-me, por favor: de quem o profeta estava falando? A respeito de si mesmo ou de outro? " Então Filipe começou com esta mesma passagem da Escritura e explicou a ele a boa-nova da salvação em Jesus Enquanto viajavam, chegaram a um lugar onde havia água, e o eunuco disse: "Veja, aqui tem água! Por que eu não posso ser batizado? "O senhor pode", respondeu Filipe," se o senhor crê de todo o seu coração". E o eunuco respondeu: "Eu creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus". Ele parou o carro, os dois desceram para dentro da água, e Filipe o batizou. E, quando saíram da água, o Espírito do Senhor levou Filipe para outro lugar, e o eunuco não o viu mais, porém continuou o seu caminho com alegria. Enquanto isso, Filipe apareceu em Azoto! Pregou a boa-nova ali e em cada cidade pelo caminho, à medida que ia para Cesareia. Atos 8:26-40 O Espírito Santo não falou: “vá até aquela carruagem e jogue pedra naquele Eunuco”. Pense nisso. Noticia: 17/06/2015


quinta-feira, 11 de junho de 2015

UMA VIAGEM AO CEARÁ

Lembro-me como fosse hoje, embarcando com destino ao Ceará terra aonde eu nasci, olhei para traz lá estava ela minha mãe: com os olhos cheios de lagrimas ao lado do meu pai e meu irmão. Bom, entrei no avião com toda sorte que eu estava fui logo do lado das asas do avião, o local aonde faz mais barulho. Cheguei na Bahia para poder fazer uma escala para pegar outro voou e me perdi no túnel para poder ir para dentro do aeroporto, para poder ir para outro local assim pegar um avião direto para o Ceará. Quando eu menos esperei estava aonde os técnicos ficam arrumando o avião, não me pergunte como eu cheguei lá, só andei distraído, vendo a beleza da terra Baiana. Logo fui abordado, e me mandaram subir lá para dentro do aeroporto então me ensinaram o caminho e eu fui. De sorte quando eu estava em São Paulo ainda, ouvi duas senhoras conversando falando que iriam para o Ceará, então aonde elas estavam ali estava eu. Por incrível que parece dei de frente com essas senhorinhas lá no aeroporto da Bahia então resolvi segui-las, até que entrei no avião com destino para o Ceará. Ao chega no Ceará lá estava minha tia e o meu tio me esperando, me deram um abraço bem forte e ficamos ali por volta de duas horas e meia esperando as minhas malas, só para não perde o costume com a sorte que eu estava. Depois de muito tempo minhas bagagens apareceram: então fomos embora, pegamos um táxi e fomos para Fortaleza aonde minha tia mora, fiquei ali 4 semanas, conheci parentes e outras tias e tios e fiz alguns colegas, e alguns amigos da família e tal. Gostava de beber uma latinha de cerveja até hoje me lembro a marca dela era antártica, só que lá a violência, e os assaltos as mercearias não davam bobeira, por consequência os barzinho eram todos com portão de ferros, digamos que uma segurança máxima para lugares periféricos, é uma terra sem lei a todos os aspectos, cobra comendo cobra, mas nada disso atrapalhou a beleza daquele lugar, eu embora acostumado com um ritmo mais disciplinado aonde alguns local em São Paulo é bem raro ver roubos em comunidades carentes, me adaptei ao ambiente e com as pessoas. As rapaziadas andavam com suas motos sem capacete na maior tranquilidade, praias lindas, embora não fui em nenhuma delas, conheci muitas histórias de todos os tipos com o pessoal de lá. Depois das 4 semanas em fortaleza, peguei um ônibus e fui destino a Boa Viagem, cheguei lá estava alguns tios e tias com um carrinho me esperando, me deram um abraço bem forte e caloroso e seguimos viagem para casa deles, em certa rodoviária, encontrei com alguns conterrâneos que estavam aqui em São Paulo, fiquei feliz em vê-los lá bem de vida, estavam trabalhando de moto táxi. Fiquei na casa de minha outra tia por um tempo, fui para uma comunidade vizinha aonde moravam alguns irmãos meu por parte de pai e os conheci, outras tias primos e tios. Fui bem recebido pelas minhas tias e meus tios, me senti à vontade com todos que encontrei por lá, era parado na rua por pessoas que nunca vi e me diziam: cadê a benção meu filho sou sua tia, sou seu tio, sou seu primo, sou amigo dos seus irmãos, foi uma sensação gostosa de se sentir. Fiquei uns dias na casa de minha irmã também, conheci sobrinhos, e fiz amigos. Gostava de ficar na frente da casa de minha irmã, ou na frente da casa de minha tia fumando meu cigarro e tomando minha cervejinha. Não posso nunca, jamais esquecer de minha vovó, uma senhorinha carinhosa, um amor fraternal contagiante, sentava com ela e suas amigas em uma roda e ela bolava um fumo para mim caiamos na risada, conversando sobre várias coisas, entre conversas recebia carinhos, beijos e abraços, agradeço a Deus por me permitir sentir tanto amor o quanto eu sentia com a minha vovó. Minhas tias o tempo todo disponível com o maior carinho e amor, os meus tios, gastávamos horas e horas, ouvindo história dos moradores e repartindo experiências, nesse dia percebi que para ser sábio não precisa ser estudado ou letrado, conheci muitos analfabetos que de fato eram sábios. Entre piadas, perdas, contos, e realidades do dia-dia, eu ia me tornando, mais sábio só ouvindo aqueles senhores que contavam algumas histórias que davam gosto de si ouvir. Minhas irmãs e eu almoçávamos juntos ficávamos em volta da mesa contando histórias e nos conhecendo a cada dia mais. Certo dia resolvi sair sozinho, mal eu sabia que aquela noite iria ser longa, meu primo me levou até o centro, então fiquei por ali entre alguns lugares e outros fui me arranjando. Filhos e filhas de fazendeiros com carros ligados em frente a salões gente de todo tipo, me lembrou São Paulo nas noites geladas e frias das baladas, porém lá só era forro. Encontrei um lugar e ali fiquei, tomei alguns whiskies com red bul, fumei alguns cigarros logo fiz algumas amizades e arrodeamos a mesa, conversa vai e conversa vem sempre rolava aquelas trocas de olhares com algumas garotas em volta da mesa, logo não demorava e nos achegávamos mais perto um do outro, e então rolava aqueles beijinhos bom demais da conta. Nunca curti tanto e gastei tão pouco, lá o ganho é pouco, porem o gasto também é, sobrou até um qualquer para mim. Mas a noite se prolongou para mim vir embora, eu me perdi! - Entrei em várias comunidades sem conhecer nada e nem ninguém, engraçado segunda vez que me perco, mas passou um garoto de moto, aí eu expliquei minha situação, porém, ele conhecia meus familiares e me levou para casa, fiquei tranquilizado e agradeci a ele. "Todo lugar tem gente boa, do coração bom, não importa aonde for, sempre terá um sal que dar gosto a terra". Ainda pelas bandas da casa de minhas tias e tios voltei para casa de meus outros tios e tias, é muito tio e tia eu sei... Ali eu ficava mais em um clima de tranquilidade e meditação, final de semana levava meus primos a pizzaria, ali comíamos, bebíamos, e dávamos muitas risadas, certo dia conheci uma garota, era irmã da ex-namorada do meu irmão, logo conversamos e saímos para uma pizzaria, conversamos sobre tudo, nos conhecemos, e no final gostamos, só que enquanto isso um outro irmão meu que eu não o conhecia pessoalmente estava lá com sua família, conhecido na cidade pelo seu dom artístico, desenhista e pintor, por toda parte tinha trabalho dele em mercados, lojas, pizzarias, e etc. Quando eu percebi, chamei o garçom para levar uma coca para ele, e mandei o garçom não avisar que vinha da minha mesa, mas que falasse que vinha de São Paulo, logo ele se levantou e ficou olhando para um lado e para o outro e nada de achar alguém. Depois fui lá na mesa dele, e perguntei se ele me conhecia e ele falou que não, então me apresentei, então nos abraçamos bem forte, ele me apresentou sua mulher e filha, a garotinha dele me deu um beijinho e me chamou de titio, fiquei cheio de amor no coração e conversei um pouco com ele, e me convidou para ir à casa dele qualquer dia desses que eu estava por lá, mas no final não conseguir ir lá, voltei a mesa para voltar a conversar com a menina, ela me falou i aí será que é eu que vou ter que pedir mesmo para te beijar, dei um sorriso envergonhado então saímos da pizzaria, paguei a conta e fomos para um cantinho da praça e ficamos ali, nos beijamos muito, me despedi dela e fui para casa da minha irmã. Noutro dia acordei leve, alegre feliz e cheio de amor no coração, paz, tranquilizado. Então resolvi ir para casa de minha outra vovó, fui até o centro peguei um pal de arara - é o nome dos caminhões que leva as pessoas ao interior, ele é todo aberto e tem algumas madeiras no meio e uma cobertura em cima aonde você se apoia para não cair tem madeiros ao meio, achei legal ar livre vendo as estradas da BR paisagens lindas e maravilhosas e inspiradoras. Cheguei ao destino lá estava minha vovó com um jumentinho para amarrar minhas coisas e com alguns primos meu para nos ajudar, mau eu sabia que a jornada seria grande para chegar na sua casinha de barro, mas foi gratificante cada gota de suor, cada morro, cada porteira que eu abria, e cada paisagem. Chegamos lá meu tio no cavalo, era vaqueiro e cuidava do gado do patrão dele, saiamos direto tomávamos uma cachaça Ypióca, e de vez em quando em alguns forrozinhos eu ia com meu primo. Ficava parte do tempo também meditando sobre a vida e a beleza que ela nos oferece, as aventuras, e o dia-dia simples da minha família. Para mim foi umas das épocas que o Espirito Santo mais se revelou a mim, sempre guiando meu coração dizendo; vá meu filho ame e se deixe ser amado por todos que encontrar. Saia mata a fora com meus primos de uma casa para outra, jogava bola com eles, me sentir em um pequeno paraíso escondido no interior do Ceará. Lagoas, frutas e etc..... Sem esse mundo tecnológico, vivendo a vida como ela é de fato, certo dia sai sozinho e me perdi novamente como de costume, eu me perdendo e me achando. Mas como sempre achava o caminho de volta para casa, cortei caminho por uma mata aonde me lembrava e sai na casa da minha vovó, ali sentava com ela e minhas tia e fumávamos um cigarrinho de fumo e conversamos e ela só no seu cachimbo. "De fato uma vida simples é bem mais rica do que morar em um apartamento na Zona Sul de São Paulo, nada paga a tranquilidade e o barulho da natureza sussurrando em seus ouvidos; bem-vindo meu filho". Em algumas dessas caminhadas eu tinha o costume de andar com um pedaço de vara pela estrada arrastando no chão e certo dia eu andando, mal eu sabia uma cobra bem do lado da estrada de terra, mas como eu vinha arrastando no chão a varinha, ela se espantou e saiu mata a fora, sempre algo novo, sempre surpresas simples me cativava mais ainda mais. Bom um pequeno resumo do que eu me lembro dessa minha viagem que queria registrar aqui, se eu fosse contar tudo nos mínimos detalhes iria ficar muito longo, mas espero que isso evolva vocês com o que eu sentir nesse lugar, depois que eu estava no interior fiquei mais alguns dias em Boa Viagem e voltei para São Paulo, foi único a sensação de estar caminhado no chão da vida com amor, responsabilidade, e gratidão ao ETERNO por criar e nos dá experiência magnificas. De fato, voltei totalmente diferente de lá.


quarta-feira, 10 de junho de 2015

Deixe-me nascer de novo

Deixe-me nascer de novo,
Mas não em uma terra estranha,
No meio de um povoado,
Pode ser a caminho do céu, numa fazenda,
Ali construiremos uma aranha céu,
Na trilha da floresta eu e uma família,
Andávamos a caminho a uma cachoeira,
E o seu nome era o lago do céu, ali aonde
Ficava os pensamentos e algumas
Orações que iriam lá para o céu.

Na minha memória fiquei tranquilizado
Com o barulho da água maravilhado,
Esta água era vida bem viva,
Mergulhei encontrei minha história
Era de uma pessoa cativa e
Meus suspiros de exílio talvez
Perdido em alguma ilha.

Mas lembro-me da doçura e da beleza
Na amargura atravessada,
E eu prefiro minha memória acesa depois
Da chuva de uma angústia apagada
Com que afeição me remiro! Junto com os lírios!

Pirata do regresso com seu barco posto
A fundo, ás vezes quase sempre me
Esqueço que foi verdade
Este mundo, quase mundo esquecido da maldade.

(Ou talvez fosse mentira...)

domingo, 7 de junho de 2015

SE O FILHO DE DEUS VIESSE NO NOSSO TEMPO

Se o FILHO de DEUS viesse no nosso tempo, com todas essas religiões atuais que se dizem estar no nome dEle, e se dissesse aquilo que Ele falou aos fariseus, certamente Ele seria ignorado. A maioria dos líderes religiosos iriam condená-Lo à morte novamente, talvez não publicamente como foi feito no século I, mas o chamariam de herege... O povo, o rebanho desses pastores estranhos, iriam ignorá-Lo novamente.... Dando ouvido aos lobos. Digo isso a todos os hereges do nosso Brasil... pois tudo o que fazem é para ficar em evidência. Eles se fingem de santos. E como gostam de tomar os principais lugares nos "templos" e serem adorados pela igreja, os assentos mais importantes no púlpito são exclusivos deles, hipócritas. - Hipócritas! Como apreciam a consideração de serem chamados de mestres! - Hipócritas! Pois vocês não entram no Reino do céu e nem deixam os outros entrarem. - Hipócritas! Vocês parecem santos, separados, com todas as suas longas orações públicas nas ruas e praças, enquanto exploram as viúvas nas casas delas. Por isso o castigo de vocês será MAIOR! - Hipócritas! Porque vão a qualquer distância, percorrendo terra e mar para converter alguém, e depois fazem a mesma pessoa duas vezes mais digna do inferno do que vocês. - Hipócritas! Vocês obrigam a dar o dízimo coisa essa que não existe mais na Nova Aliança até o último centavo, e ATERRORIZAM as pessoas psicologicamente, mas se esquecem das coisas importantes.... A JUSTIÇA, a MISERICÓRDIA e a FIDELIDADE. - Guias cegos! Vocês coam um mosquito e engolem um camelo. Vocês procuram parecer homens santos, mas por baixo desses ternos de bondade, está um coração manchado de toda espécie de FINGIMENTO e MALDADE. - Serpentes! Filhos de víboras.... Como vocês escaparão da condenação do inferno? - Religiosos Hipócritas! Cada um em suas denominações.... Quantas vezes eu quis juntar os meus filhos como uma galinha junta seus pintinhos debaixo das asas, mas vocês não quiseram e nem deixaram. Leia Mateus 23 para uma melhor compreensão.


quinta-feira, 4 de junho de 2015

DIÁLOGO ENTRE UM PECADOR E DEUS!

Senhor Deus, eu tenho um único desejo a lhe fazer... O Senhor pode me dar uma graça que eu jamais consiga te ofender? Quando ouviu isso, Deus começou a dar risada alta. E falou ao filho: É o que todos me pedem! Mas e se eu concedesse essa "graça" a todos meus filhos, como vão aprender o caminho que eu os chamei? Que prazer terei eu em vos domesticar? Por ventura não criaria EU humanos robotizados? E digo mais: Quem restaria para EU perdoar? Por acaso você não sabe que a salvação é pela GRAÇA através da fé no meu FILHO? Ouviste falar sobre uma multidão em pé diante do trono do Cordeiro de Deus que tirou o pecado do mundo? Naquele meu dia, muitos irão trajar vestes brancas e vão trazer folhas de palmeira nas mãos, e eis ali haverá uma multidão, a qual ninguém poderá contar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, que estarão diante do Meu trono! Apocalipse 7:9. Acaso não perdoarei EU uma prostituta arrependida, que veio até a MIM cheia de lágrimas nos seus olhinhos? EU não ouvirei aquele que diz: SENHOR não tenho sido capaz de encontrar outro emprego para poder sustentar meu pequenino de dois anos e meio. Perdoa-me. Acaso EU não verei a mulher que fez um aborto e é assombrada pela culpa e com o coração cheio de arrependimento, mas o fez diante de todas as alternativas que pensava serem as únicas? Acaso EU não perdoarei o menino que cresceu na rua e roubava frutas na feira para si alimentar? Acaso não perdoarei EU aqueles a quem vocês expulsaram do vosso meio, só porque ansiavam por um amor incondicional, porque eles falaram o que muitos não estão olhando e até ignorando? Acaso não perdoarei EU aquele (a) que foi molestado (a) pelo seu pai, e agora vende o seu corpo nas ruas frias e geladas de São Paulo? Por ventura EU não perdoarei eles, se no final de cada dia ou noite, ouço-os sussurrarem em seus quartos fechados o nome do DEUS DESCONHECIDO a respeito do qual eles ouviram falar dEle um dia? Muitos se lambuzam, quebraram cada lei minha e a dos homens, chafurdaram tudo, mas se converteram em seu leito de morte! Então o pecador exclama: Mas como Senhor...? Então o SENHOR diz: Esses lavaram suas vestiduras e as alvejaram no sangue do CORDEIRO... E ali estão eles... E ali vão ficar! Ali estamos nós, a multidão que queria ser fiel, que foi por vezes derrotada, maculada pela vida e muitas vezes vencida pelas provações, trajando as roupas ensanguentadas por todo tipo de tribulação da vida.... Mas, diante de tudo isso que aconteceu, eles permaneceram apegados a FÉ na LUZ que vinda ao mundo ILUMINA a todo homem, mesmo não há vendo, eles morrerão crendo nessa LUZ que a todos os homens foi dada. Então, o pecador prostrado no chão responde: SENHOR, se isso não for as Boas Novas do Evangelho, que é para Salvação de todo homem.... Eu não sei mais o que é! Nunca vamos compreender por completo o Evangelho da Graça, a não ser, que o provemos, e nos lambuzemos com ele! "Nós o amamos a Ele porque Ele nos amou primeiro". 1 João 4:19



segunda-feira, 1 de junho de 2015

VOCÊ ACREDITA!

Você acredita que o Pai de nosso Senhor e Salvado Jesus Cristo é gracioso, e que Ele se importa com você? Você crê que ele está presente sempre, sempre mesmo, como companheiro de jornada no chão da vida, ele tem te auxiliado? Você realmente acredita que DEUS é AMOR? Ou te ensinaram que esse Deus Pai amoroso e gracioso é um DEUS mal que gosta de castigar seus filhos por prazer? Diz João: "No amor não há medo; o amor que é totalmente verdadeiro afasta o medo. Portanto, aquele que sente medo não tem no seu coração o amor totalmente verdadeiro, porque o medo mostra que existe castigo". 1 João 4:18. - Te ensinaram que o Pai é um juiz, um espião, disciplinador, como aquele que sempre castiga seus filhos? Se você pensa desse modo, eu acho que você está um pouco equivocado. O amor do ETERNO é revelado no amor do seu FILHO. Sim, o Filho foi dado a nós para que pudéssemos abrir mão do medo para com nosso Pai. Não há nenhum pingo de medo no amor. O Pai enviou seu Único Filho - "O ladrão só vem para roubar, matar e destruir; mas eu vim para que as ovelhas tenham vida, a vida completa". João 10:10. O Filho não é então um sinal insuperável do amor e da benevolência do ETERNO-DEUS? - "Quem me vê, vê também aquele que me enviou". João 12:45. - Não é o caso que Deus seja justiça e que o Filho seja amor. Ora, o Pai é justiça e amor, o Filho é amor e justiça. Abba não é o nosso inimigo. Se achamos isso, estamos totalmente errados. Abba não está decidido a nos provocar, tentar e testar. Se achamos isso, estamos totalmente errados. Abba não dá preferência e não promove o sofrimento e a dor. Nós homens que temos nossos corações petrificado pela maldade do mundo. Jesus traz boas notícias a respeito do ETERNO, não más. Precisamos de uma nova espécie de relacionamento com o Pai? Não, nós não precisamos de uma instituição aqui na terra para nos relacionar com o Pai, nós temos o próprio Filho! Um relacionamento que exclua o medo e a desconfiança e a ansiedade e a culpa, são só através do Filho Unigênito do Pai, Jesus Cristo Homem. Quando sabemos que Deus é amor e justiça e o Filho é justiça e amor, a gente nos permiti sermos esperançosos e cheios de alegria por causa do amor de Deus, confiantes e compassivos. Temos de nos converter da má nova que a religião promove, para a boa nova dos Evangelhos que é Cristo Jesus. "Ele dizia: - Chegou a hora, e o Reino de Deus está perto. Arrependam-se dos seus pecados e creiam no evangelho" Marcos 1:15. E agora o que eu devo fazer? Irei dar as costas aos pecados do ceticismo e do desespero, da desconfiança e do cinismo, da reclamação e da ansiedade. O Evangelho da graça nos chama a cantarmos a cada dia o mistério da salvação. Busco a cada dia o mistério corriqueiro da intimidade com o ETERNO em vez de buscar por milagres e visões. Jesus nos conclama a cantarmos as raízes espirituais de experiências com Ele, Andamos apaixonados, por fala a verdade, a salvação de todo homem não está em placas de "igrejas" Presbiteriana, Metodista, Evangélica, Católica, Pentecostal. "Está em Jesus de Nazaré". Com Jesus aprendemos a perdoar uns aos outros, não nos ferirmos uns aos outros, permanecermos juntos nos momentos difíceis da vida. Conhece alguém que caminha com um amor que não sabe de onde vem, mas mesmo assim faz o bem, bem feito até o fim sem pedir nada em troca? Dos tais é o reino do céu, assim como todo aquele que é semelhante a uma criança, sem maldade, talvez assustada, mas nunca dez-esperançosa, pois ela bem sabe que tem um Pai que a ama, e sempre estará pronto para o proteger. De tais mistérios caseiros consiste em uma vida piedosa em Cristo Jesus, uma conversão genuína ao Evangelho sem nenhum fermento da religião. A conversão da desconfiança que é a que a religião propaga, para a confiança em uma busca confiante do significado espiritual na existência humana, com o PAI e o FILHO para com a HUMANIDADE. A graça abunda e permeia as margens da experiência cotidiana. Uma vez Brennan Manning disse: Confiança define o que é viver pela graça em vez de pelas obras. Confiança é como subir uma escada de quinze metros, chegar ao topo e ouvir alguém lá embaixo dizer: "Pule". O discípulo que confia tem essa confiança infantil num Deus amoroso. A confiança com efeito diz: Abba.